Blog

Treinamento para Corredores

treinamento-para-corredores-tiago-personal

Na grande maioria das vezes, a pratica da corrida de rua, vem com um único propósito: Emagrecimento. E de fato, a maioria procura a modalidade como uma forma de se buscar um “corpo perfeito”. Porém, com o tempo, o benefício estético começa a aparecer e satisfazer, e é nesse exato momento que aparece um novo desejo: De se correr mais rápido.

E pode-se generalizar, desde os corredores do famoso 100m rasos até os míticos corredores de 42km ( Maratonistas ), pois primariamente o volume de treino é mais importante do que a velocidade realizada, mas pode ter certeza, vai chegar um determinado momento que na cabeça de cada corredor, o percurso pode ser feito 1,2,3 minutos mais rápido.
Por mais que o corredor diga que corre por estética, prazer, por saúde, sem intenção de baixar tempo, quando o relógio comprova um tempo menor logo vem aquela satisfação. Ser competitivo é do instinto do ser humano, natural.

E nessa busca por um menor tempo, muitas estratégias podem ser feitas além da própria corrida, aliás, com o crescimento das mídias virtuais, diversas metodologias são criadas, desde as mais sensatas até os treinos mirabolantes. Nesse exato momento que surge a enlouquecida procura pelo treinador mágico, a academia perfeita, o tênis ideal, o suplemento milagroso.

O importante é entendermos que cada indivíduo tem uma REAL NECESSIDADE Para os treinos. Estamos numa constante “briga” de conceitos, onde se põe uma errônea separação de musculação e Treinamento funcional. Mas na verdade é que cada “atleta”, cada momento, cada restrição irá precisar de uma ou outra opção, ou até mesmo, as duas juntas, porque não?

 

Papel da Musculação para os corredores

 

A corrida de rua e a musculação são duas atividades que por muito tempo foram consideradas concorrentes, ou seja, uma influenciava negativamente na melhora de rendimento da outra.

Porém, com a melhor compreensão da fisiologia e da biomecânica humana, profissionais de educação física concluíram que o ganho de força ajuda o corredor a gastar menos energia, já que músculos bem desenvolvidos geram economia de movimento por conta da eficiência do gesto motor. Além disso, é essencial para evitar lesões.

Aqueles corredores que ainda não iniciaram um programa de fortalecimento costumam ter desequilíbrio muscular entre lado direito e esquerdo, assim como desproporção entre tronco, braços e pernas. No próprio grupo muscular da coxa, os chamados vasto medial e lateral, respectivamente do lado de dentro e de fora da perna, são desproporcionais. O ato de correr desenvolve mais o lateral do que o medial e muitos dos problemas de joelho ocorrem por conta do vasto lateral, que estando mais forte desloca sensivelmente a patela (rótula) para fora, gerando microtraumatismos nos muitos quilômetros de treino.
Na função estabilizadora, o abdome, os lombares e os membros superiores também precisam estar bem preparados.

De fato, quem corre não almeja ter um corpo de fisiculturista. Sendo assim, a planilha de treinamento deve estar estruturada afim de melhorar sua força, potência e da flexibilidade

A musculação para o corredor não deve se prender a muitas repetições com pouca carga. A prescrição ideal deve estar incluída numa periodização começando por um programa global. A estrutura do tronco e quadril é importante na transmissão de força para as pernas.

Para iniciar o programa de treino na musculação é importante buscar a ajuda de um profissional. Primeiro o profissional deve avaliá-lo e montar um programa básico para uma adaptação de acordo com as suas necessidades. Se você já possui algum tipo de lesão, o profissional levará isso em conta na hora da prescrição do treino.

 

Papel do treinamento funcional para corredores

 

Visando a melhora em seu desempenho na corrida por aumentar a força e sua capacidade funcional o treinamento funcional tem sido muito procurado pelos praticantes de corrida de rua tanto por ser um treinamento específico como também pela forma dinâmica de treinamento.

Por meio dos movimentos naturais do corpo, o Treinamento Funcional utiliza grande parte dos grupos musculares de uma só vez, não se concentrando em apenas uma musculatura de forma isolada. A prática, que deve ser específica para as necessidades e deficiências de cada indivíduo, visa desenvolver um corpo mais integrado e inteligente.

Na corrida, de forma geral, o foco deve ser o fortalecimento do CORE (músculos de sustentação do tronco). Uma atenção especial também deve ser dedicada aos estabilizadores do quadril, joelhos e tornozelos, pois, se essas articulações estiverem em desarmonia, poderão prejudicar o equilíbrio estático e dinâmico do atleta, aumentando o risco de lesões.

Falando especificamente sobre as lesões, o treinamento funcional é uma excelente forma de se fazer uma prevenção, pois fortalece os músculos sinergistas, que são aqueles que dão suporte à ação e auxiliam o movimento.  Pois como já sabemos, esse tipo de treinamento estimula vários músculos, ativando grupos musculares menores e mais profundos, dando ao aluno uma melhor sustentabilidade articular e muscular.