Blog

Treinamento Funcional

treinamento-funcional-para-corrida-personal-tiago-ribeiro

Nos dias atuais, o treinamento funcional tem sido interpretado de forma abrangente como, por exemplo, executar exercícios em plataforma instável, exercícios em vários planos ou algo similar.

O corpo humano é projetado para funcionar como uma unidade, com os músculos sendo solicitados em sequências específicas para realizar algum movimento planejado. Em cada movimento, diversos músculos são recrutados e todos eles realizam uma função diferente.
Por sua vez, o Sistema Nervoso Central (SNC) que, além de diferentes funções motoras, é o responsável pela ativação muscular e pela organização desses movimentos. Através de diferentes sinais enviados ao SNC, partindo da pele, das articulações e dos músculos, são detectados detalhes sobre a posição de cada parte do corpo em relação ao ambiente e a outras partes corporais, a velocidade do movimento e o ângulo articular.
Diante de tudo isso, os exercícios denominados como “Treinamento Funcional” foram criados nos Estados Unidos e vêm sendo muito difundido no Brasil e no restante do mundo.

O treinamento funcional teve origem com os profissionais da área de fisioterapia e reabilitação, já que estes foram pioneiros na utilização de exercícios que imitavam o que os pacientes faziam em casa ou no trabalho durante a terapia, propiciando, desse modo, um breve retorno à sua vida normal e às suas funções laborais após uma lesão ou cirurgia. Assim, se a tarefa ocupacional do paciente requeresse levantamentos de peso repetidos, a reabilitação deveria ter como objetivo principal permitir um retorno a essa função o mais breve possível, com bom desempenho e sem dor.
Baseado no sucesso de sua aplicação na reabilitação, o conceito de treinamento funcional passou a ser utilizado no desenvolvimento de programas para a melhora do desempenho atlético e do condicionamento físico e para minimizar possíveis lesões dos praticantes da atividade física.
Não é difícil acessarmos sites, blogs de atletas de ponta utilizando o treinamento funcional como meio de obter êxito nas melhores e maiores competições de diversos esportes. Por isso, observamos constantes postagens e adesão dos exercícios funcionais por pessoas que têm como único objetivo a prática de atividade física.

Tem como princípio preparar o organismo de maneira íntegra, segura e eficiente através do centro corporal, conhecido por CORE. Aliás, você já deve ter ouvido bastante essa palavra CORE. Mas, você sabe realmente o que é o CORE? O Core é formado pela musculatura que circunda nosso centro de gravidade (a região próxima ao umbigo). Basicamente, são os músculos abdominais, da região lombar, pelve e quadril (TEIXEIRA, 2014). Portanto, esta musculatura envolvida é responsável pela sustentação e estabilização de praticamente todos os movimentos de nosso corpo.

Vários dos objetivos desse método de exercício representam uma volta à utilização dos padrões fundamentais do movimento humano (como empurrar, puxar, agachar, girar, lançar, dentre outros), envolvendo a integração do corpo todo para gerar um gesto motor específico em diferentes planos de movimento. Um exemplo contrário a esse método é o trabalho isolado do corpo para gerar um gesto motor específico, como visto na musculação tradicional.

treinamento funcional personal tiago ribeiro

A ideia inicial é que o Treinamento Funcional atinja o objetivo de controlar o sistema músculo-esquelético, de uma forma que, cada vez, mais iremos induzir a solicitação e refinamento do sistema sensório-motor e proprioceptivo que, por um motivo ou outro, é deixado de lado pelos treinamentos ditos como convencionais. Visando aprimorar ou resgatar a eficiência do movimento humano para atividades do cotidiano, respeitando as individualidades de cada pessoa.

Utilizando aparelhos alternativos ou acoplados aos aparelhos de musculação, exigirão de maneira mais significativa dos proprioceptores corporais para a execução das atividades. Contudo, os exercícios podem ser realizados com o peso do próprio corpo, cabos, elásticos, pesos livres, base de suporte instável e reduzida, medicine balls, bolas suíças, trazendo benefícios mais significativos à capacidade funcional do corpo. São exercícios bastante motivacionais e desafiadores.
É de extrema importância citar que o treinamento funcional é fundamentado no indivíduo, em seu objetivo (o que ele quer), suas necessidades reais (o que ele precisa) e seu potencial de movimento (o que ele ainda não realiza), além da capacidade do treinador de identificar essas demandas.

Ainda se tem muitas dúvidas em porquê realizar o Treinamento Funcional. A melhor maneira de esclarecer é listar alguns dos vários benefícios obtidos tanto ao corpo quanto à mente de quem pratica a modalidade.

  • Desenvolvimento da consciência sinestésica e controle corporal;
  • Melhoria da postura;
  • Melhoria do equilíbrio muscular;
  • Diminuição da incidência de lesão;
  • Melhora do desempenho atlético;
  • Estabilidade articular, principalmente da coluna vertebral;
  • Aumento da eficiência dos movimentos;
  • Melhora do equilíbrio estático e dinâmico;
  • Melhora da força, coordenação motora;
  • Melhora da resistência central (cardiovascular) e periférica (muscular);
  • Melhora da lateralidade corporal;
  • Melhora da flexibilidade e propriocepção;
  • Dentre outras qualidades necessárias e indispensáveis para a eficiência diária e esportiva.
treinamento-funcional-personal-tiago-ribeiro1